Charon
Cordilheiras montanhosas e planícies vulcânicas na lua de Plutão, Charon (via Universities Space Research Association)

Nosso vizinho celestial mais próximo, nosso ‘irmão’ mais novo, a lua, tem duas novas crateras. Os meteoros foram capturados em vídeo através de um sistema conhecido como MIDAS. O sistema de Detecção e Análise dos Impactos da Lua é composto por uma série de telescópios que monitoram a Lua, especificamente buscando novos impactos.

A Agência Espacial Europeia (ESA), que supervisiona o projeto MIDAS, avistou os impactos algumas semanas atrás. Apenas com 24 horas de diferença, os dois meteoróides não eram muito maiores do que umas nozes, mas ainda assim tiveram uma força significativa devido à escassa atmosfera da lua. Observações sugerem que as pedras celestes provavelmente vêm do cometa 169P/NEAT, que causa a chuva de meteoros de Capricórnidas Alfa.

“Ao estudar meteoróides na Lua, podemos determinar quantas rochas causam impacto e com que frequência e, a partir disso, podemos inferir a chance de impactos na Terra”, disse Jose Maria Madiedo, do MIDAS, em um comunicado à imprensa.

O vídeo dos impactos é bem legal, especialmente considerando que estamos assistindo a centenas de milhares de quilômetros de distância. É bom também saber que até mesmo a melhor tecnologia que temos não consegue ver a lua tão bem. Os clipes mostram pouco mais do que um par de flashes luminosos que perduram por pouco mais de um segundo para depois desaparecer rapidamente. A descrição do vídeo também observa que tudo isso estava no lado escuro da lua, o que… me lembra de The Dark Side of the Moon de Pink Floyd.