HBO | Westworld
HBO | Westworld

CHERNSVILLE — Pesquisadores de inteligência artificial do Instituto de Tecnologia de Chernsville (ChIT) anunciaram que estão mais próximos do que nunca de construir vida artificial, mas pelo menos uma década longe de entender qualquer um dos pontos do enredo do Westworld.

Sheryl Banks, membro da equipe de processamento de linguagem natural da ChIT, fez grandes avanços no desenvolvimento de programas que podem entender e reagir à linguagem falada naturalmente. “É por isso que ainda não é possível entender o diálogo de Anthony Hopkins“, disse ela. “O que ele quer exatamente? Também foi sua consciência real importada em uma máquina, ou uma invenção da imaginação de Bernard sobre ele? – ela perguntou, encolhendo os ombros. “Nós simplesmente não temos a tecnologia para decifrar a escrita de Jonathan Nolan.”

O colega de trabalho de Bank, Yanno Cowl, está trabalhando em um dos mais excitantes campos da pesquisa de inteligência artificial: redes neurais em duelo, onde duas redes neurais fornecem feedback umas às outras em um loop que confere ao sistema uma espécie de imaginação. “Eu não acho que ‘imaginação’ seja o principal problema do Westworld”, disse Cowl. “O problema é fazer algum maldito sentido.” Perguntado se suas redes neurais de duelo eram semelhantes às personalidades em duelo de Dolores e Wyatt, Cowl fez uma pausa.

“Eu diria que a coisa toda de Dolores/Wyatt é bem diferente da geração de imagens artificiais”,

Disse Cowl. “Porque eu 100% entendo a geração de imagens artificiais”.

Talvez o campo mais complicado de pesquisa de IA seja a computação quântica, que Shonna Barbado lidera na ChIT. Solicitado a explicar a computação quântica, Barbado disse: “Claro, não há problema. Podemos passar pelo básico em menos de uma hora. Infelizmente, se você quiser falar sobre todo o cronograma de Arnold/Bernard, precisarei cancelar a maior parte da semana que vem.”

“Ok, aqui está o que é computação quântica. Você conhece o gato de Schrodinger? É um gato dentro de uma caixa e está vivo ou morto. Boom, você tem uma compreensão rudimentar de um incrível campo científico complexo.”

“Agora, imagine que, em vez de um gato, é uma pessoa. E não importa se está vivo ou morto, porque de qualquer forma, ele não entende o enredo do Westworld porque ninguém entende o enredo do Westworld, nem mesmo as pessoas que o escreveram, porque eles estão inventando tudo de acordo que avança a trama”, continuou Barbado.

“Agora imagine que há dois gatos na caixa. E os dois são Dolores. Mas um deles é interpretado por Tessa Thompson. É de da um nó na mente, não é?”